quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Urgapacar

Estou sendo
clichezalmente
mais forte que eu.
me bato, dou murros na cara:
a minha
e volto mais calma
falando sozinha
com obedi[ência
...
agarro meu braço, me impeço
me abraço
me acordo, me durmo
me obrigo o diurno
me imponho a rotina
preciso saber
dessa gasolina
ou vou à fal[ência
...
me boto umas regras
escondo os defeitos
por baixo das pregas
acabo com os bregas,
revivo os que pegam
que matam, que comem
que, aos poucos, somem
junto com as horas.
olha a emerg[ência!
...
hoje vira ontem:
a vida passou
tudo foi-se embora, das santas às putas
e nem deu mais tempo de ser culta.