terça-feira, 6 de março de 2012

Um pingo loiro na chuva.


Estava lembrando do pinguinho de gente que conheci há bom tempo (em expressão de quantidade e qualidade)... o pingo tal tinha cabelos loiros, curtinhos, umas 4 primaveras e era agitada como remédio pra gripe que a gente espera dissolver; era uma graça. Uns 2 dias após o contato primeiro, umas corridas, uns teatros, umas maquiagens e uns muitos abraços, ela me disse: - Você é minha melhor amiga, e eu tenho medo de te esquecer. eu perguntei o porquê, e ela respondeu, me deixando atônita: - Porque dizem que, quando a gente fica adulto, a gente esquece das pessoas, daí, vou escrever sobre você no meu diário.
eu preciso dizer que fiquei boba? preciso?
O que Clarinha-pingo - que é muito mais gente que uma poça-de-gente inteira - disse se constata: virar adulto é esquecer. Mas eu acho que ela ainda lembra da outra gota, aqui.