quarta-feira, 14 de março de 2012

Tu

de olhos bobos eu leio
o teu pedaço
a tua face exposta
a tua cara enrugada
marcas de anos vários
como árvore de anéis
os que usas nestes dedos
finos, pequenos, apontados
para o escopo prezado
de beleza tão abstrata
que só enxerga quem ama

Nenhum comentário:

Postar um comentário