quarta-feira, 9 de novembro de 2011

O que é que Cândida vai fazer?


Cân-di-da: três sílabas, mas tão grande. Loira - aquele tom de loiro, em que ainda se é um pouco morena -, branca, branca, quase invisível. O que é que Cândida vai fazer? Vai nascer. Cândida nasce, faz alguma coisa, tem uma epifania e nasce de novo. Cheia de luz, linda, jurando que o mundo é de todo bom. Vai se decepcionar, vai chorar, vai borrar a maquiagem no espelho, vai dizer que nunca mais, vai comprar sapatos e se arrepender, vai comprar roupas menores que não caberão, vai sair e ser feliz pra sempre. Cândida vai chorar de novo, não vai entender nada, vai sonhar que voa, vai ter dois dedos - dos pés - do mesmo tamanho. Cândida vai sair de casa, vai ser independente e voltar. Vai sorrir até se engasgar, chorar até vomitar, viver até morrer. E, quando falecer, vai virar pó. E, quando virar pó, vai ser jogada na areia do parque de uma creche, onde passará a eternidade com os seus, inocentes como ela.

Um comentário:

  1. Me identifiquei muito com esse texto. Ganhou uma fã, sério. Parabéns!

    ResponderExcluir