sexta-feira, 12 de agosto de 2011

-

Às vezes você muda. E dói tanto, tanto, que se torna infinito. Eu queria ter vontade de sair, de estudar, de várias coisas. Mas não tenho tido. Acho descabido falar estas coisas aqui, mas é aqui que eu falo como me sinto, mesmo. Só quero que isso passe e que eu volte a ser a mesma de novo, que não doa mais. Eu não sei como você está, no que pensa, o que tem feito, eu nem mesmo sei direito quem você é. Eu quero que você esteja bem - e eu também. As coisas tem parecido sem saída, mas eu sei que tem. Em algum lugar, sei lá como, onde, quando, mas eu sei que tem. E eu vou esperar até achar. Sei que vou ficar bem de novo, demore o quanto for.

Nenhum comentário:

Postar um comentário