sábado, 25 de junho de 2011

À prova d'água.

"- Tô pronta", disse.
- Mas você não usou o pó.
"- Tô pronta", repetiu.
- Mas você não usou batom. Está pronta para quem?
- Pra mim. Tô pronta - repetiu -, sou mulher. Sou mulher de várias faces e nenhuma maquiagem. Sou mulher de vários olhos e nenhum rímel. Sou mulher rosada e nenhum blush. Sou mulher à prova d'água. Sou mulher embaixo d'água. Sou mulher.
- Você não pode sair assim, sem máscara.
- Quem disse que não uso máscara? A melhor máscara nem se vê, querida. Minha máscara é mulher. Tô pronta pra sair. Tô pronta pra entrar. Tô pronta pra abrir a porta. Tô pronta pra ser porta. Tô pronta. E não há mulher que tenha demorado mais do que eu. Ser mulher exige. E passei por tanto para falar que tô pronta, assim, sem "estou pronta", assim, no coloquial, assim, sem falácia de programa de tv. Assim: tô pronta. Desse jeito.
- Mas você só fala do passado. Nunca do que virá. Mas, vamos, estamos atrasadas. Que horas são?
- Quinze para as dez. Virá, querida, virá.
Foi ao banheiro, passou algodão, tirou algodão sujo e colorido, lavou o rosto e deitou. Sonhou em como seria ser mulher, à prova d'água, pra sempre.

2 comentários:

  1. A maior parte do tempo, sou assim. Sem me importar com outra maquiagem, além da minha, natural. Mas às vezes preciso contornar. Então, acabo escolhendo outras maquiagens, também a prova d'água.

    ResponderExcluir
  2. Vim aqui para avisar que te deixei algo em meu blog. Uma singela lembrança, breve homenagem, só para dizer um pouco da sua importância. Esta na minha última postagem, de hoje, dia 26/06: "Singela homenagem, sinceros agradecimentos". Ao clicar no seu nome, o seu perfil aparecerá, para que os outros leitores possam assim como eu, te conhecer e apreciar. Bom, espero que goste das palavras por mim deixadas, são sinceras e de coração.
    Enfim, você é muito especial.

    Beijos,
    Débora.

    ResponderExcluir