terça-feira, 14 de junho de 2011

Etc.

Cinco letras. Cinco vezes doce. Cinco dias úteis. Luluzinha. Cinco mais três é oito. Três é bonito. Três lembra brinco. Hoje disseram que sou louca, confusa. Já me disseram outra vez. Tenho mesmo a mania de querer e não querer, ir e não ir, bláblá. Mas a gente vai pra o raso do mar e, quando percebe, já está se afogando. Nem se percebe, eu acho. Quando ela estava se afogando, ela não era a mesma. Era só uma mulher afogada. Cabeça dentro d'água, pés, mãos, ela estava virando água também. Mulher afogada foi achada. É mulher, não se sabe o nome, não se sabe nada. Não se sabe se mulher decidiu se afogar. Não se sabe se afogaram a mulher. Não se sabe se mulher se afogou sem querer. É, porque mulher tem mania de se afogar sem querer. Não era peixe, não era sereia, era mulher. Não era só do sexo feminino, era mulher. Sabe? Já que é pra exagerar, vou pedir um copo vazio e encher de água. Acho tão mágico isso, de estar todo mundo no mesmo lugar. Todo mundo, assim, mesmo que a gente não conheça, não queira e nunca venha a conhecer. Eu gosto de mundo. Eu gosto de certas coincidências. Cinco letras, cinco vezes doce. Mil dias úteis. Jeans, parede. Rosto vermelho. Cinco letras, mas é só uma coisa que a gente sente: amor.

Um comentário: