quinta-feira, 15 de março de 2012

Parábola

Acho ser humano horrível
depois esquisito
depois ainda fantástico
então me esperanço
me amo, me nasço
depois ainda me odeio
choro à janela, epifânica
aí viro equilibrada
me faço budista
me atuo de libra
depois ainda artista
boto tudo em letra
poesia, desenho
e adoro, venero
depois ainda detesto
dito, edito, reedito
e em protesto me nego:
lá vamos nós outra vez.

Nenhum comentário:

Postar um comentário