quarta-feira, 14 de março de 2012

G

Aqui dentro
onde não há marca de pés
a não ser dos meus próprios
tudo tem tamanho G:
o medo, o surto
a paranoia, a vontade
a mania, a quantidade
tudo tem tamanho G
e quando me visto
que me peso
me sinto gigante
mesmo que pequena eu fosse
só por adorar em G:
de gente, de grito
de me jogar sempre nos atritos
das caixas altas
das letras vociferantes
alarmantes
elefantes
e todos os ante possíveis:
amor sempre me engrandece.

Nenhum comentário:

Postar um comentário