terça-feira, 8 de novembro de 2011

A menina do dedo no nariz.


Hoje vi uma menina, na parada de ônibus. Ela parecia a personagem Macabéa, do livro A Hora da Estrela, de Lispector. Ela nem é feia, tem cabelo liso e grande, parece ter uns 15 anos. Ela estava com a boca aberta - até cogitei que ela poderia ter algum problema mental. De repente, a menina enfia o dedo no nariz. E tira. E enfia. E mantém o dedo no nariz e a boca aberta. Eu olhei aquilo tão abismada, ela parecia alheia a tudo, às “regras da sociedade”, à higiene, e fazia aquilo tão naturalmente, como algo que todo ser humano faz, mas sem se esconder pra isso. Eu não vi como algo ruim, apesar de sentir nojo, eu a admirei. Ela era ela mesma, acho que nem tinha noção de que quase ninguém o era. E, por ser quem era, eu achei que ela tinha problemas mentais – ainda cogito. Como se nós, os que são tão civilizados, fôssemos saudáveis. Aposto que Suzane Richthofen não enfia o dedo no nariz em público.

Nenhum comentário:

Postar um comentário